O mundo digital não acabou (e nem acabará) com os livros de papel

Até hoje nada conseguiu substituir a sensação inebriante que temos ao tatear, mesmo que por alguns segundos, os livros de papel.

Embora muito tenha-se coagitado sobre a possibilidade de os ebooks (livros digitais) tomarem seu lugar no gosto do público, tudo parece ter ficado em apenas meras especulações.

É notável que atualmente acontece justamente contrário: os livros impressos estão cada vez mais bem cotados na preferência dos leitores. O mercado editorial a nível mundial está de vento em polpa e não dá sinais de que irá retroceder ou tomar rumos diferentes.

Em recente pesquisa realizada pela American University, em Washington DC, descobriu-se que os livros de papel estão na preferência de 92% dos universitários quando procuram leituras sérias. A pesquisa aponta que a maioria esmagadora dos entrevistados prefere a leitura de livros físicos, mesmo tendo atualmente um vasto leque de opções para escolher.

Dentre as vantagens do livro impresso está sua capacidade de prender de forma mais incisiva a atenção do leitor, possibilitando assim uma melhor absorção de conteúdo e um entendimento mais amplo acerca do assunto abordado. Outra vantagem dos livros físicos em relação aos digitais é que o passar das páginas dá a impressão de que algo está avançando, o que o cérebro reconhece como algo satisfatório e reflete-se em prazer mental.

Apesar de apresentarem algumas desvantagens em relação aos impressos, os ebooks também possuem seus pontos altos. Como por exemplo, a possibilidade de compactação de milhares, ou até milhões de obras em um simples aparelho digital, e o acesso a elas em apenas alguns cliques.

Aliados

Fazendo uma rápida análise, podemos observar e constatar que o livro digital foi e é um grande avanço para o mundo literário. Ele possibilita que os autores e editores possam trabalhar de forma mais prática e simplificada, pois permite que obras literárias sejam divulgadas mais facilmente e de forma mais extensa, usando justamente a vastidão do mercado de leitores online.

Em suma, os ebooks alcançam mais pessoas, são mais acessíveis e podem ser grandes aliados, tanto de quem os escreve, quanto dos que produzem e comercializam.